Voltar à página inicial
 

 

 
 
Jimi Hendrix (1942/1970) 
   
Origens: Wikipédia, a enciclopédia livre.
: Beatrix - Mofo
Conheçam também: http://www.jimihendrix.com
  http://www.jimihendrixparkfoundation.org
  Clique e ouça todas as 116 músicas
 

Pais de Jimi

James Marshall Hendrix, nasceu na cidade de Seattle (EUA) no dia 27 de novembro de 1942 no King County Hospital, filho de James Allen "Al" Hendrix, que trabalhava na base militar de Oklahoma e da adolescente de 17 anos, Lucille Hendri, quando sua mãe o registrou como John Allen Hendrix, enquanto seu pai estava lutando na Segunda Guerra Mundial. Quando voltou da Europa em 1945 seu pai o rebatizou de James Marshall Hendrix.

A vida do pequeno Johnny foi difícil, seu pai havia sido enviado para a guerra poucos meses antes do filho nascer e só o viu quando ele já tinha quatro anos. Al o rebatizou, pois que John era nome de um ex-namorado de Lucille e argumentou também que era uma homenagem ao irmão morto, Leon Marshall Hendrix.

James era o filho mais velho do casal. Em 1948, nasceu o irmão Leon Hendrix, seguido, depois por Joseph Allen Hendrix, Kathy Ira Hendrix e Pamela Hendrix.

Era muito afeiçoado à sua avó materna, que possuía sangue cherokee, e que incutiu no jovem Jimi um forte sentido de orgulho de seus ancestrais nativos norte-americanos. A vida da família era tão difícil que o quarto de Jimi era um armário, onde dormia e se escondia quando os pais brigavam. As condições com pouco dinheiro eram tão miseráveis e os pais de Jimi tiveram, ainda, a infelicidade de ver os três filhos mais novos nascerem com problemas físicos ou mentais. Para desespero dos filhos mais velhos, os três foram dados para adoção pois não conseguiam pagar as contas médicas. Kathy era cega.

A vida familiar era dura e os Hendrix resolveram se separar (1951) quando ele tinha apenas nove anos. Jimi perdeu a mãe em 2 fevereiro de 1958 aos 16 anos. A vida do menino sempre foi difícil e por um tempo viveu em Vancouver (Canadá) na casa da avó para poder aliviar os problemas financeiros.

Com tantos problemas, não era de se espantar que o pequeno Jimi fosse uma criança tímida e com problemas emocionais, agravado pela extrema pobreza. Jimi cresceu tendo de ser o responsável por cuidar de seu irmão mais novo, Leon. A vida de adolescente não foi melhor. Sem a mãe - a quem sempre amou e que serviu como musa inspiradora de várias músicas - Jimi começou a descobrir a música. Certa vez quando estava trabalhando na retirada de sucata junto com seu pai, encontrou um ukelele (instrumento de 4 cordas) que tinha apenas uma corda mas que mesmo assim o encantou

O pai sonhava em vê-lo jogar futebol, mas o pequeno James não mostrou talento algum, e o pai o incentivou então em seus talentos musicais. Com 15 anos  comprou seu primeiro violão. Era uma maneira de fazer o menino mais feliz. Um ano depois comprou sua primeira guitarra elétrica, uma Supro Ozark 1560S.

O grande ídolo do garoto era Elvis Presley, a quem ele assistiu, em 1957 em Seattle. Jimi se juntou a um grupo local, o Velvetones, adotando o nome artístico de Jimmy James, e debutaram na sinagoga Temple De Hirsch Sinai, onde regularmente ensaiavam no porão, mas sem pagamento. Ainda assim, era uma chance de ouro, e chamou a atenção por ser negro, canhoto e ter um estilo peculiar de se mexer no palco.

Jimi acabou completando o ginásio na Washington Junior High School mas não se formou no colegial na Garfield High School, e, já famoso, chegou a dizer que foi perseguido por questões raciais, mas o diretor da escola negou dizendo que ele era apenas um aluno desinteressado, mostrando suas notas.

A vida de Jimi deu uma guinada após ser pego roubando um carro, foi fichado e tinha duas opções: ou se alistava e ficava o tempo da pena no exército ou cumpriria a pena. Ele saiu da escola e se alistou no exército, tornando-se um membro da 101ª Divisão Airborne ‘The Screaming Eagles’ em Fort Campbell, Kentucky, como pára-quedista. 

Apesar de escrever cartas para a família dizendo que estava feliz Jimi era um tormento para oficiais e colegas: preguiçoso, chegando ao ponto de se masturbar em um local público. Tanta irresponsabilidade fez os superiores pedirem o seu desligamento da corporação, coisa que não o chateou. Para disfarçar, Jimi contava que havia sido dispensado por se ferir durante saltos, dizia que recebeu alta médica depois de quebrar um tornozelo em seu vigésimo sexto salto de pára-quedas. Não há nenhum registro médico no exército americano sobre a dispensa de Jimi.

Hendrix, se alistou como voluntário para a guerra do Vietnã mas nunca esteve em combate, porém as suas gravações tornaram-se as favoritas entre os soldados que lá lutavam.

Nessa época nasceu a amizade com o baixista Billy Cox, que seria um grande parceiro de Jimi anos mais tarde. Os dois se mudaram para Clarksville, no Tennessee e se apresentavam como The King Kasuals. Foram nesses shows que Jimi desenvolveu a técnica de tocar a guitarra com os dentes. Ele já havia visto ainda menino, em Seattle, Butch Snipes tocar assim. No Kasuals, o "dono da técnica" era Alphonso 'Baby Boo' Young. Jimi confessa que não era fácil, mas o público exigia algo diferente e por isso jogavam pedaços de dentes por todo o palco. A banda acabou se mudando para Nashville, em uma comunidade negra da cidade onde se toca r&b e blues. Eram quase a banda oficial do Club del Morrocco. Jimi e Billy moravam em um apartamento acima de onde morava a então namorada de Hendrix, Joyce.

Enquanto vivia com o grupo, Jimi resolveu outros rumos, até para poder sobreviver. Assim, ingressou no combo "Chitlin Circuit", feita para músicos negros que tocavam no sul e leste da América. Com eles, Jimi servia de grupo de apoio para nomes como Chuck Jackson, Slim Harpo, Tommy Tucker, Sam Cooke e Jackie Wilson, sendo uma importante escola. Jimi, porém, se frustrou com a experiência e em janeiro de 1964 se mudou para New York.

Assim que chegou, fez amizade com Lithofayne “Faye” Pridgeon, que logo viraria sua namorada e com os gêmeos Allen, Albert e Arthur, que, no futuro, mudariam os nomes para Taharqa and Tunde-Ra Aleem. Além de amigos, os gêmeos serviram para ensinar Jimi onde andar ou não, afastando-o de confusões.

Em fevereiro, Hendrix venceu um concurso de talento amador no famoso Apollo Theater e como "prêmio" foi contratado pelos Isley Brothers. A vida dentro do grupo foi dura e não muito prazerosa, mas rendeu a ele uma primeira experiência em estúdio, gravando "Testify". No entanto, Jimi deixou o grupo em outubro de 1964,

Em 1965, em uma das tantas apresentações ao vivo como acompanhante de bandas diversas, Jimi chamou a atenção de Little Richard, grande astro e pioneiro do rock and roll dos anos 50. Apesar da excelente recepção por parte do público e da boa química surgida entre o vocalista e guitarrista, o ego imenso de Little Richard não permitiria que um guitarrista talentoso ofuscasse sua presença no palco.

Durante uma pausa, em Los Angeles, participou de uma gravação da cantora Rosa Lee Brooks, no compacto My Diary. Nessas sessões conheceu outro músico negro, maluco e guitarrista e de quem seria grande amigo: Arthur Lee, que no ano seguinte, montaria a banda Love.

Jimi também participou do compacto de Little Richard,” I Don't Know What You've Got, But It's Got Me”, lançado pela Vee-Jay. Em maio fez sua primeira aparição televisa, no WLAC-TV Channel 5, de Nashville, como banda de apoio de Buddy & Stacey, tocando "Shotgun", no programa Night Train.

Com a desculpa de que Hendrix havia perdido o ônibus da banda após um show em New York, Little Richard o demitiu, felizmente não antes que alguns dos shows houvessem sido registrados.

Curtis Knight and the Squires

O jovem guitarrista canhoto chamava a atenção não apenas pelos solos imprevisíveis e de estilo inédito até a época, mas também pela extrema habilidade em tocar a guitarra com os dentes ou nas costas.

Cansado do estrelismo de Little Richard juntou-se ao final de 1965, a Curtis Knight and the Squires. Os dois viviam no mesmo hotel: America, e Curtis o convidou para ingressar no grupo. Jimi ainda tocaria dois meses com Joey Dee and the Starliters, antes de se juntar a Knight.

No dia 15 de outubro de 1965, assinou um contrato de três anos com Ed Chalpin, pela irrisória quantia de $1 e pagamento de 1% do royalty. Esse contrato seria a pedra no sapato do músico por toda a carreira e a briga segue, até hoje, passados mais de 40 anos de sua morte.

Jimi começou então uma vida intensa de músico de estúdio, tocando com Lonnie Youngblood; The Icemen; Jimmy Norman & Billy Lamont, além de assinar uma composição, a instrumental "Hornets Nest". Nessa época resolve montar sua própria banda, The Blue Flames, com Randy Palmer (baixo), Danny Casey (bateria) e um garoto de 15 anos na guitarra rítmica, Randy Wolfe, que algum tempo depois montaria um grupo de nome Spirit, ficando ele famoso como Rany California. Nessa época era conhecido como Jimi James.

Os Blue Flames chamaram a atenção ao abrirem um show dos Monkees em New York, em 1966. A banda faria shows no Cafe Wha?, na MacDougal Street em Greenwich Village, e em um deles foram vistos por uma jovem de nome Linda Keith, que era nada menos que a namorada de Keith Richards, dos Rolling Stones. Entusiasmada falou deles para o empresário do grupo, Andrew Loog Oldham. Mas Oldham não se interessou e Linda foi atrás de Chas Chandler, ex-baixista dos Animals e que procurava jovens músicos para produzir e ser empresário. Chas Chandler viu os Blues Fames e ficou fascinado por Jimi James e pediu a Jimi para ser seu empresário, sugerindo então que trocasse o nome de James para Jimi e passou a divulgar a banda na Inglaterra. Chandler levou-o para a Inglaterra, a única condição de Hendrix era a de que, chegando a Londres, fosse apresentado a Eric Clapton, no que foi prontamente atendido por Chandler. A admiração entre Hendrix e Clapton foi mútua, apesar dos estilos diferentes.

Mitch Mitchell foi chamado para ser o baterista da banda, rebatizada de The Jimi Hendrix Experience. Logo gravaram três singles, “Hey Joe”, “Purple Haze” e “The Wind Cries Mary”, seguidos de extensa divulgação em rádios e TVs inglesas. Em abril de 1967 saiu seu primeiro LP, Are You Experienced, um clássico do rock de todos os tempos. Após uma turnê como banda de apoio na Europa fizeram sua estreia na América, no Monterey Pop Festival na Califórnia, logo após seguiram em turnê americana como banda de abertura dos Monkees.

Durante suas primeiras apresentações em clubes de Londres, o nome da nova estrela espalhou-se como fogo pela indústria musical britânica. Os seus shows e musicalidade criaram fãs rapidamente, entre eles os guitarristas Eric Clapton e Jeff Beck, assim como os Beatles e o The Who, e também o ainda desconhecido Farrokh Bulsara, que mais tarde viraria o grande Freddie Mercury, cujos produtores imediatamente encaminharam Hendrix para o selo que produzia o The Who: a Track Records. O primeiro "single" desta parceria, uma regravação de "Hey Joe" se tornou quase que um padrão para as bandas de rock da época.

Mais sucesso veio em seguida, com a incendiária "Purple Haze" e a balada "The Wind Cries Mary". Estas duas e ainda "Hey Joe" chegaram na época ao chamado "Top 10". Agora, finalmente estabelecido no Reino Unido como importante estrela de rock, Hendrix e sua namorada Kathy Etchingham mudaram-se para uma casa no centro de Londres, ao lado da casa que um dia pertencera ao compositor barroco Georg Friedrich Händel (antigo compositor clássico).

Em 1967, o grupo, formado por Hendrix na guitarra e vocal, Noel Redding no baixo, eventualmente guitarra e vocais base, e Mitch Mitchell, na bateria, percussão e backing vocals lança seu primeiro álbum, Are You Experienced, cuja mistura de baladas ("Remember"), psicodelia ("Third Stone from the Sun" e "Fire"), e bluestradicional ("Red House") seria uma espécie de amostra de seu trabalho posterior. O álbum fez muito sucesso, que só não alcançou o número 1 porque foi barrado pelo sucesso de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band dos The Beatles. O álbum é considerado por muitos o melhor álbum de estreia de todos os tempos e foi eleito o quinto álbum mais importante da era do rock pela VH1 em 2001, além de estar em décimo quinto lugar na lista da revista Rolling Stone na categoria 500 Greatest Albums Of All Time. Outra edição da revista, publicada anteriormente em 1987, consagrou o álbum como sendo o quinto na categoria Melhores Álbuns dos últimos 20 anos. Também está incluído no livro 1001 álbuns que deve ouvir antes de morrer.

Em 31 de março do mesmo ano, Hendrix fazia uma apresentação no Astoria Theatre, em Londres, quando teve a impressão (em sua opinião particular), que o público não estaria muito empolgado com seu show. Então, pela primeira vez, ateou fogo em sua guitarra em pleno espetáculo, fato que entrou pra história do Rock e se tornaria marca registrada em suas apresentações. Foi levado para o hospital com queimaduras, sendo posteriormente advertido pelo administrador do Rank Theatre para controlar suas exibições no palco depois de danificar os amplificadores e outros equipamentos no palco.

Com o forte apelo de Paul McCartney, integrante do "Monterey Pop Festival”, o Jimi Hendrix Experience foi agendado para apresentar-se naquele festival, e o concerto, onde ficou notória a imagem de Hendrix pondo fogo e quebrando sua guitarra, foi imortalizado pelo cineasta D.A. Pennebaker no filme Monterey Pop. O festival de Monterey foi um retorno  triunfante e seria seguido por apresentação de abertura para o grupo pop The Monkees, em sua primeira turnê americana.

Os Monkees pediram a presença de Hendrix simplesmente por serem seus fãs. Infelizmente, porém, a sua platéia predominantemente adolescente não se interessou pelas bizarras apresentações de Hendrix no palco, e ele abruptamente interrompeu a apresentação depois de algum tempo, exatamente quando “Purple Haze” começava a estourar nas paradas norte-americanas. Chas Chandler mais tarde admitiu que ter "caído fora" da turnê dos Monkees foi planejado para ganhar o máximo de impacto de mídia para Hendrix. Na época, circulou uma história afirmando que Hendrix tinha sido retirado da apresentação devido a reclamações de que sua conduta no palco era "lasciva e indecente", reclamações estas que teriam sido feitas pela organização conservadora de mulheres Daughters of the American Revolution. De fato a história era falsa: a coisa foi forjada pela jornalista australiana Lillian Roxon, que acompanhava a turnê junto com o namorado e cantor Lynne Randell, outro coadjuvante. A afirmação foi zombeteiramente repetida na famosa Rock Encyclopedia de Roxton em 1969, porém mais tarde ela admitiu que a coisa foi fabricada.

Enquanto isso, de volta à Inglaterra, sua imagem de "selvagem" e de artista cheio de recursos para chamar atenção (tal como tocar a guitarra com os dentes ou com ela às costas) continuava a trazer-lhe notoriedade, apesar de ter começado a se sentir mais e mais frustrado, devido à concentração da mídia e das platéias em suas atuações no palco e em seus primeiros sucessos, e pela crescente dificuldade em ter suas músicas novas também aceitas.

No mesmo ano, o grupo lança seu segundo álbum, Axis: Bold as Love, que continuou o estilo estabelecido por Are You Experienced, com faixas como “Little Wing” e “If 6 Was 9”, mostrando a continuidade de sua habilidade com a guitarra. No entanto, um percalço quase impediu o lançamento do álbum - Hendrix perdeu a fita com a gravação master do lado 1 do LP depois de acidentalmente tê-la esquecido num táxi. Com a proximidade do prazo fatal de lançamento, Hendrix, Chandler e o engenheiro de som Eddie Kramer foram forçados a fazer às pressas uma remixagem a partir das gravações multicanais, o que eles conseguiram terminar numa verdadeira maratona noturna. Esta foi a versão lançada em dezembro de 1967, apesar de Kramer e Hendrix mais tarde terem dito que nunca ficaram totalmente satisfeitos com o resultado final.

Por volta dessa época, desavenças pessoais com Noel Redding, combinadas com a influência das drogas, álcool e fadiga, conduziram a uma problemática apresentação na Escandinávia. A 4 de janeiro de 1968, Hendrix foi preso pela polícia de Estocolmo, após ter destruído completamente um quarto de hotel num ataque de fúria devido à embriaguez.

A terceira gravação da banda, o álbum duplo Electric Ladyland de 1968, era mais eclético e experimental, incluindo uma longa seção de blues e aquela que é provavelmente a versão mais conhecida da música de Bob Dylan “All Along the Watchtower

A gravação do álbum foi extremamente problemática. Hendrix se decidira por voltar aos EUA e, frustrado pelas limitações da gravação comercial, decidiu criar seu próprio estúdio em New York, no qual teria espaço ilimitado para desenvolver sua música. A construção do estúdio, batizado de "Electric Lady" foi cheia de problemas, e o mesmo só foi concluído em meados de 1970.

O trabalho antes disciplinado de Hendrix estava a se tornar errático, e as suas intermináveis sessões de gravação repletas de aproveitadores finalmente fizeram com que Chas Chandler pedisse demissão em 1 de dezembro de 1968. Chandler posteriormente se queixou da insistência de Hendrix em repetir tomadas de gravação a cada música (a música “Gypsy Eyes” aparentemente teve 43 tomadas, e ainda assim Hendrix não ficou satisfeito com o resultado) combinado com o que Chas viu com uma incoerência causada por drogas, fez com que ele vendesse sua parte no negócio a seu parceiro Michael Jeffery. O perfeccionismo de Hendrix no estúdio era uma marca - comenta-se que ele fez o guitarrista Dave Mason tocar 20 vezes o acompanhamento de guitarra de “All Along The Watchtower” - e ainda assim ele sempre estava inseguro quanto a sua voz, e muitas vezes gravava seus vocais escondido no estúdio.

Muitos críticos hoje crêem que Michael Jeffery teve uma influência negativa na vida e na carreira de Hendrix. Comenta-se que Jeffery (que foi anteriormente empresário da banda The Animals) desviou boa parte do dinheiro que Hendrix ganhou durante a vida, depositando-o secretamente em contas no exterior.

Apesar das dificuldades na sua gravação, muitas das faixas do álbum mostram a visão de Hendrix se expandindo para além do escopo do trio original (diz-se que este disco ajudou a inspirar o som de Miles Davis em Bitches Brew) e vendo-o colaborar com uma gama de músicos um tanto desconhecidos, incluindo Dave Mason, Chris Wood e Steve Winwood (da banda Traffic), ou o percussionista Buddy Miles e o ex-organista de Bob Dylan, Al Kooper.

A expansão de seus horizontes musicais foi acompanhada por uma deterioração no seu relacionamento com os colegas de banda (particularmente com Redding), e o Experience se desfez durante 1969. Suas relações com o público também vieram a tona quando em 4 de janeiro de 1969 ele foi acusado por produtores de televisão de ser arrogante, após tocar uma versão improvisada de "Sunshine of your Love" durante sua participação remunerada no show da BBC1, Happening for Lulu

Em 3 de maio Hendrix foi preso no Aeroporto Internacional de Toronto após uma quantidade de heroína ter sido descoberta em sua bagagem. Ele foi mais tarde posto em liberdade depois de pagar uma fiança de 10.000 dólares. Quando o caso foi a julgamento Hendrix foi absolvido, alegando que as drogas foram postas em sua bolsa por um fã sem o seu conhecimento. Em 29 de junho, Noel Redding formalmente anunciou à mídia que havia deixado o Jimi Hendrix Experience, embora ele efetivamente já tivesse deixado de trabalhar com Hendrix durante a maioria das gravações de Eletric Ladyland.

Em agosto de 1969, no entanto, Hendrix formou uma nova banda chamada Gypsy Suns and Rainbows, para tocar no Festival de Woodstock. Ela tinha Hendrix na guitarra, Billy Cox no baixo, Mitch Mitchell na bateria, Larry Lee na guitarra base e Jerry Velez e Juma Sultan na bateria e percussão. O show, apesar de notoriamente sem ensaio e desigual na performance (Hendrix estava, dizem, sob o efeito de uma dose potente de LSD tomada pouco antes de subir ao palco) e tocado para uma plateia celebrante que se esvaziava lentamente, possui uma extraordinária versão instrumental improvisada do hino nacional norte-americano, “The Star-Spangled Banner”, distorcida, quase irreconhecível e acompanhada de sons de guerra, como metralhadoras e bombas, produzidos por Hendrix em sua guitarra (a criação desses efeitos foi inovadora, expandindo para além das técnicas tradicionais das guitarras elétricas). Essa execução foi descrita por muitos como a declaração da inquietude de uma geração da sociedade americana, e por outros como uma gozação antiamericana, estranhamente simbólica da beleza, espontaneidade e tragédia que estavam embutidas na vida de Hendrix. Foi uma execução inesquecível relembrada por gerações. Quando lhe foi perguntado no Dick Cavett Show se estava consciente de toda a polêmica que havia causado com a performance, Hendrix simplesmente declarou: "- Eu achei que foi lindo."

O Gypsy Suns and Rainbows teve vida curta, e Hendrix formou um novo trio com velhos amigos, o Band of Gypsys, com seu antigo companheiro de exército, Billy Cox, no baixo e Buddy Miles na bateria, para quatro memoráveis concertos na véspera do Ano Novo de 1969/1970. Felizmente os concertos foram gravados, capturando várias peças memoráveis, incluindo o que muitos acham ser uma das maiores performances ao vivo de Hendrix, uma explosiva execução de 12 minutos do seu épico anti-guerra “Machine Gun”.

Em 28 de janeiro de 1970 acontecia no Madison Square Garden, em New York, um dos maiores concertos já organizados em prol da paz no Vietnã, o Festival do Inverno para a Paz. Teve sete horas e meia de duração. O baterista, Mitch Mitchell e o baixista Noel Redding, estavam no backstage porque participariam do fim do show fazendo uma jam com a Band of Gypsys, grupo que sucedeu o Experience. Michael Jeffrey, empresário de Hendrix, deu-lhe um ácido, pensando que isso levantaria o astral de Jimi e faria com que o show saísse melhor. Mas o resultado foi o contrário e Jimi terá ficado fora de si em pleno palco, dizendo para uma garota na platéia: “- Você está menstruada? Eu posso ver através das suas bermudas”. O choque de ter dito isso fez com que Hendrix se tocasse. Depois o guitarrista ainda no palco acrescentou: “- Nós não estamos bem. e abandonou o palco no meio da segunda música. Hendrix foi o mais ovacionado apesar do curto set. Outros que se apresentaram: Blood, Sweat & Tears, Harry Belafonte, The Rascals e Peter, Paul & Mary. Miles posteriormente declarou durante uma entrevista de TV que Hendrix sentia que estava perdendo evidência para outros músicos. Passou o resto daquele ano em gravações sempre que arranjasse tempo, frequentemente com Mitch Mitchell, e tentando levar adiante o projeto Rainbow Brigde, uma super ambiciosa combinação de filme/álbum/concerto no Havaí. Em 26 de julho Hendrix tocou no Sick's Stadium, em sua cidade natal, Seattle.

Em Agosto ele tocou no Festival da Ilha de Wight com Mitchell e Cox, expressando desapontamento no palco em face do clamor de seus fãs por ouvir seus antigos sucessos, em lugar de suas novas idéias, mesmo tendo momentos memoráveis (inclusive Jimi Hendrix executando a clássica "Machine Gun", com 18 minutos). Em 6 de Setembro, durante sua última turnê europeia, Hendrix foi recebido com vaias e insultos por fãs, quanto se apresentou no Festival de Fehmarn, na Alemanha, em meio a uma atmosfera de baderna. O baixista Billy Cox deixou a turnê e retornou aos Estados Unidos depois de supostamente ter utilizado fenilciclidina, uma substância analgésica.

O guitarrista e baixista Greg Lake (que acabava de deixar o King Crimson) e o tecladista Keith Emerson procuravam por um baterista e percussionista, e chegaram a conversar com Mitch Mitchell. O ex baterista do Jimi Hendrix Experience, Gypsy Suns And Rainbows e Band Of Gypsys recusou, mas passou a idéia para Hendrix, que aceitou. A banda, que iria ser formada pelos três também incorporou Carl Palmer, como baterista, e se chamaria HELP (Hendrix, Emerson, Lake & Palmer). Infelizmente, Jimi morreu, mas o projeto seguiu, formando a banda de rock progressivo Emerson, Lake & Palmer, que produziu grandes sucessos, como “Lucky Man”,”From The Beginning”, “Stil You Turn Me On”, entre outros.
 

Monika Dannemann

Jimi Hendrix morreu em Londres nas primeiras horas de 18 de setembro de 1970, dois meses antes de completar 28 anos, em circunstâncias que nunca foram completamente explicadas. Jimi havia passado parte da noite anterior em uma festa, de onde seguiu juntamente com a sua namorada, a patinadora alemã Monika Dannemann para o Hotel Samarkand, no número 22 da Lansdowne Crescent, em Notting Hill. Estimativas indicam que ele teria morrido pouco tempo depois, dormindo e afogado em seu próprio vômito.

Kathy Etchingham

Monika alegou em seu depoimento original que Hendrix teria tomado na noite anterior, sem que ela soubesse, nove comprimidos de um remédio para dormir que ela utilizava. De acordo com o médico que o atendeu inicialmente, Hendrix tinha se asfixiado (literalmente afogado) em seu próprio vômito, composto principalmente de vinho tinto. Por anos Monika dizia que Hendrix ainda estava vivo quando o colocaram na ambulância; seus comentários sobre aquela manhã, no entanto, foram frequentemente contraditórios, e variaram de entrevista para entrevista. Declarações de policiais e paramédicos revelaram que não havia ninguém além de Hendrix no apartamento, e que não apenas ele estava morto quando chegaram à cena mas também estava totalmente vestido, e já estava morto há algum tempo.

As letras de uma canção composta por Hendrix e encontradas no apartamento levaram Eric Burdon a fazer um anúncio prematuro no programa 24 Hours, da BBC, de que Hendrix teria cometido suicídio. Depois de um processo por difamação movido pela namorada inglesa de Hendrix por 3 anos, Kathy Etchingham, Monika Dannemann cometeu suicídio em 1996 - embora seu último amante, o guitarrista Uli Jon Roth (ex-Scorpions), tenha feito acusações de que ela teria sido assassinada.
 

   
   
   
   
 

Página inserida em 10/01/2018

 
Voltar ao topo da página
  


Voltar à página principal